Agenda Cultural

A Casa de Zabelê surgiu em 1994, oferece assistência a crianças e adolescentes

Casa de Zabelê oferece assistência a crianças e adolescentes vítimas de violação de direitos

A instituição é vinculada à Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas

Diariamente, diversas crianças e adolescentes têm seus direitos físicos e psicológicos violados, assim como a índia Zabelê, que, vítima da intolerância por ser apaixonar por um índio da tribo rival a de sua família, acabou perdendo sua vida. Com o nome baseado na história da índia e o intuito de acolher crianças e adolescentes que tiveram seus direitos desrespeitados, em Teresina atua a Casa de Zabelê.

O espaço atende crianças e adolescentes que sofreram violações dos seus direitos sociais e pessoais. O foco no atendimento é em casos de vítimas de violência doméstica e de forma especializada na violência sexual, tema que foi debatido na última sexta-feira (18), dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

Atualmente, a instituição possui três núcleos de atendimento: Núcleo Direto que atende crianças (8 a 11 anos) e adolescentes (12 a 17 anos) do sexo feminino; Núcleo de Dança Contemporânea que atende adolescentes do sexo feminino; e Núcleo de Profissionalização em Moda e Serigrafia, para jovens do sexo feminino e masculino (16 a 22 anos).

“Muitas pessoas vem buscar vagas aqui na própria Casa, mas é importante destacar que nós recebemos os encaminhamentos vindos da rede de assistência do município, como os CREAS e o Conselho Tutelar. Atualmente estamos com uma média de 80 pessoas sendo atendidas aqui no espaço”, destaca Francisco Moreira, coordenador técnico da Casa de Zabelê.

A Casa de Zabelê surgiu em 1994 e foi promovida pelo Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente, frente à situação de violência imposta às meninas que eram exploradas sexualmente nas principais praças de Teresina. Em 29 de agosto de 1996, a Casa de Zabelê iniciou suas atividades, originando-se de uma parceria entre o Banco Interamericano de Desenvolvimento, Prefeitura Municipal de Teresina e Ação Social Arquidiocesana (ASA).

A instituição é vinculada à Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi). “Nós acreditamos que este trabalho causa o que há de mais importante na vida de uma pessoa, que é a mudança para melhor. A Casa de Zabelê é um exemplo de dedicação e amor ao próximo, de assistência a crianças e jovens que precisam do nosso apoio”, afirma o secretário Samuel Silveira.

Se você souber de casos de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, denuncie pelo Disque 100. Ou então ligue para o número 153, para contato direto com o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) e o Conselho Tutelar de Teresina. As ligações são gratuitas e o sigilo do nome do denunciante será mantido.

Fonte: Semcaspi

Comentários

comentários

Ronny
Topo