Esporte

Arábia Saudita tomou cinco gols da Rússia

Análise: abertura tem alívio russo, decepção saudita e vergonha brasileira

Vitória na estreia muda o clima em Moscou, enquanto cartolas da CBF tentam resolver crise causada por seu presidente, que votou diferente dos aliados sul-americanos na escolha da sede de 2026

Por Martín Fernandez, Moscou, Rússia / Foto: André Durão

Dentro do Lujniki, a sensação era mais de alívio do que de êxtase. Pior colocada no ranking da Fifa (70ª), a Rússia era favorita a repetir a África do Sul em 2010 e se tornar a segunda seleção anfitriã a não conseguir superar a fase de grupos da Copa do Mundo. Os últimos resultados respaldavam o pessimismo.

A Arábia Saudita, segunda pior seleção deste Mundial (67ª no raking), tornou tudo mais fácil ao se permitir tomar cinco gols. O resultado do jogo de abertura da Copa do Mundo transformou em russa a festa que, pelo menos nas ruas e nos trens de Moscou, até aqui era bem mais peruana, mexicana, iraniana.

Arábia Saudita tomou cinco gols da Rússia (Foto: André Durão)Arábia Saudita tomou cinco gols da Rússia (Foto: André Durão)

Arábia Saudita tomou cinco gols da Rússia (Foto: André Durão)

A derrota por 5 a 0 também deixou evidente que o “projeto” saudita para o futebol vai precisar muito mais do que caminhões de dinheiro, para usar a expressão do ex-técnico do Corinthians, Fabio Carille, que assinou com o Al-Wehda.

Um vídeo de oito segundos, que tem como protagonistas Vladinir Putin, o presidente da Fifa, Gianni Infantino, e o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohamed Bin Salman, é o melhor resumo do estágio em que se encontra o futebol saudita hoje. Após o terceiro gol russo, Putin timidamente bate quatro palminhas, então se vira para Bin Salman, mira as palmas das mãos para cima e abre os braços. Infantino, constrangido, sorri sem mostrar os dentes e balança a cabeça. Ninguém precisa dizer uma palavra.

Comentários

comentários

Ronny
Topo