Copa 2018

Brasil x Suíça: Neymar pode igualar feitos de Pelé, Zico, Romário, Sócrates e Leônidas

Estreia é com o Brasil: Seleção mira décima vitória seguida no primeiro jogo da Copa

Último tropeço foi em 1978, empate por 1 a 1 com a Suécia. Já a última derrota faz 84 anos

Por Alexandre Lozetti, Edgard Maciel de Sá e Tossiro Neto, Rostov, Rússia globoesporte.globo.com

Acabou a espera: o Brasil estreia neste domingo na Copa do Mundo de 2018 contra a Suíça, às 15h (de Brasília). E a Seleção tem um ótimo retrospecto quando entra em campo pela primeira vez no Mundial. Na Arena de Rostov, a equipe do técnico Tite vai buscar a décima vitória seguida.

Brasil venceu suas últimas nove estreias em Copas (Foto: Pedro Martins / MoWa Press)

Brasil venceu suas últimas nove estreias em Copas (Foto: Pedro Martins / MoWa Press)

O Brasil não tropeça em estreias desde a Copa de 1978, quando empatou com a Suécia por 1 a 1. A última derrota faz ainda mais tempo: 82 anos. Foi na primeira partida da Copa de 34, revés por 3 a 1 diante da Espanha. Ao todo, a Seleção acumula 16 vitórias, dois empates e duas derrotas.

  • 2014: Brasil 3×1 Croácia
  • 2010: Brasil 2×1 Coreia do Norte
  • 2006: Brasil 1×0 Croácia
  • 2002: Brasil 2×1 Turquia
  • 1998: Brasil 2×1 Escócia
  • 1994: Brasil 2×0 Rússia
  • 1990: Brasil 2×1 Suécia
  • 1986: Espanha 0x1 Brasil
  • 1982: Brasil 2×1 União Soviética
  • 1978: Suécia 1×1 Brasil
  • 1974: Brasil 0x0 Iugoslávia
  • 1970: Brasil 4×1 Tchecoslováquia
  • 1966: Brasil 2×0 Bulgária
  • 1962: Brasil 2×0 México
  • 1958: Brasil 3×0 Áustria
  • 1954: Brasil 5×0 México
  • 1950: Brasil 4×0 México
  • 1938: Brasil 6×5 Polônia
  • 1934: Espanha 3×1 Brasil
  • 1930: Iugoslávia 2×1 Brasil

– O trabalho realizado até agora nos dá muita expectativa, mas também nos dá uma paz porque fizemos uma preparação muito forte. Tenho a convicção de que vamos ter dificuldade na estreia, mas também um desempenho parecido com o das eliminatórias e dos amistosos – resumiu Tite.

Quem balançou a rede pelo Brasil em estreias?

ANO SEDE JOGADOR
1930 Uruguai PREGUINHO
1934 Itália LEÔNIDAS
1938 França LEÔNIDAS (3) – PERACIO (2) – ROMEU
1950 Brasil ADEMIR (2) – JAIR – BALTAZAR
1954 Suíça PINGA (2) – DIDI – BALTAZAR – JULINHO
1958 Suécia ALTAFINI (2) – NILTON SANTOS
1962 Chile PELÉ – ZAGALLO
1966 Inglaterra PELÉ – GARRINCHA
1970 México JAIRZINHO (2) – RIVELINO – PELÉ
1978 Argentina REINALDO
1982 Espanha ÉDER – SÓCRATES
1986 México SÓCRATES
1990 Itália CARECA (2)
1994 Estados Unidos ROMÁRIO – RAÍ
1998 França CÉSAR SAMPAIO – BOYD (contra)
2002 Coreia/Japão RIVALDO – RONALDO
2006 Alemanha KAKÁ
2010 África do Sul ELANO – MAICON
2014 Brasil NEYMAR (2) – OSCAR
 
Kaká marcou o gol da vitória do Brasil contra a Croácia na estreia em 2006, na Alemanha (Foto: Getty Images)Kaká marcou o gol da vitória do Brasil contra a Croácia na estreia em 2006, na Alemanha (Foto: Getty Images)

Kaká marcou o gol da vitória do Brasil contra a Croácia na estreia em 2006, na Alemanha (Foto: Getty Images)

Suíça não perde há quatro jogos

O retrospecto da Suíça não é como o do Brasil, até porque o país não esteve presente em todas as Copas do Mundo. Mas também não é de se jogar fora. O rival deste domingo não perde há quatro estreias. A última derrota foi em 1966, diante da Alemanha Ocidental (5 a 0). Desde então, os suíços disputaram mais quatro Mundiais: 1994, 2006, 2010, 2014, empatando com Estados Unidos e França, e vencendo Espanha e Equador, respectivamente.

– Por mais que seja uma estreia, não é motico para desespero. O CPA fez uma pequisa e todas as equipes com nove, sete, seis e cinco pontos se classificaram nas últimas cinco Copas. Claro que a necessidade de resultado existe, queremos vencer, ter um desempenho alto. Mas esses números mostram que existe outra interpretação para esse primeiro jogo – encerrou o treinador brasileiro.

Veja as informações da seleção brasileira para a partida contra a Suíça:

Local: Rostov Arena, em Rostov-on-Don. Data e horário: domingo, às 15h (de Brasília). Escalação: Alisson, Danilo, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro; Paulinho, Philippe Coutinho, Willian e Neymar; Gabriel Jesus. Técnico: Tite. Desfalque: Fred (trauma no tornozelo direito). Arbitragem: Cesar Ramos apita, auxiliado por Marvin Torrentera e Miguel Hernandez (todos do México).

Comentários

comentários

Ronny
Topo