Campo Maior

Campomaiorenses, Solenidade em comemoração aos 196 anos da Batalha do Jenipapo

 

Comemorações pelos 196 anos da Batalha do Jenipapo são marcadas por homenagens e novidades em espetáculo

Foram condecoradas 28 pessoas com a Medalha do Mérito Renascença e 28 com a Medalha Heróis do Jenipapo.

O governador Wellington Dias participou, nessa quarta-feira (13), da solenidade cívico-militar em comemoração aos 196 anos da Batalha do Jenipapo, no município de Campo Maior. A programação do evento teve início às 12h com missa e culto em ação de graças, tendo prosseguimento no Monumento Heróis do Jenipapo, com o tradicional desfile militar, outorga de medalhas e apresentação de espetáculo em homenagem à batalha.

O dia 13 de março celebra uma das datas de maior importância na história do Piauí, que foi decisiva para a Independência do Brasil e consolidação do território nacional. “Celebramos esta data desde o ano de 2005, com a presença das forças armadas, do governo federal, municípios e Estado, pois é parte da agenda de comemorações do Brasil. Desta vez, a inclusão desse momento decisivo para a liberdade do nosso país nos livros de História do Brasil é mais um motivo para ser festejado”, destacou Wellington.

Para o prefeito de Campo Maior, Ribinha, a data tem uma grande representatividade no cenário municipal, estadual e nacional. “É necessário relembrar o 1823, ano em que ocorreu a batalha sangrenta em prol da Independência do Brasil, que demonstrou a coragem do campo-maiorense, a fé e a esperança por dias melhores. É por isso que sempre realizamos essa programação intensa com a parte religiosa, as comemorações com homenagens e a peça que retrata de forma emocionante essa jornada. É uma história que dá forças para que o povo de Campo Maior continue lutando, vencendo batalhas e inspirando muitos cidadãos”, pontuou o gestor.

No Monumento Heróis do Jenipapo, o governador fez a tradicional visita aos túmulos dos combatentes e, logo em seguida, teve o desfile militar. Homenagens foram feitas após o desfile, condecorando 28 cidadãos com a Medalha do Mérito Renascença do Piauí e mais 28 com a Medalha Heróis do Jenipapo. “É uma grande honra ser lembrado para receber esta nobre condecoração. Sou filho de Campo Maior e eu, assim como todos os campo-maiorenses, faço parte desta história marcante para o Brasil, que ainda é pouco conhecida, mas que não pode cair no esquecimento”, disse o subtenente do 3º BEC Picos, Marcelo Pires, que recebeu a medalha Heróis do Jenipapo.

Em seguida, os olhares se voltaram ao espetáculo dirigido por Franklin Pires, que contou com a participação de mais de 120 pessoas, entre técnicos e atores. Neste ano, a peça enalteceu a figura dos anônimos que lutaram na Batalha do Jenipapo e trouxe o tema da escravidão, por meio da história da escrava Felicidade. “Colocamos a visão da família ao ter que conviver com a angústia de perder um parente na guerra e de como foi passar por essa reviravolta na época. Também contamos a vida e morte de Felicidade, a escrava que viveu em uma fazenda de Campo Maior e foi morta com espetadas, a mando da mulher de seu patrão”, explicou o diretor.

Ao final do espetáculo, uma surpresa foi preparada. No momento crucial do confronto, uma crítica à violência, trazendo à tona nomes de vítimas de crimes de ódio que foram assassinadas no Piauí e no Brasil. Segundo o diretor Franklin Pires, nesta edição, a peça recordou o momento histórico e decisivo para a independência do país, com um olhar contemporâneo.

Autoria: Lorenna Costa /  (Francisco Gilásio) / Fonte: pi.gov.br
(Foto Manchete/Reprodução: Vivendo Cidade)
Solenidade de comemoração da Batalha do Jenipapo Solenidade de comemoração da Batalha do Jenipapo Solenidade de comemoração da Batalha do Jenipapo Solenidade de comemoração da Batalha do Jenipapo Solenidade de comemoração da Batalha do Jenipapo    

Comentários

comentários

Ronny
Topo