Educação

Desde 2010 a Semec também oferece gratuitamente o curso de Libras para educadores, comunidade escolar e servidores públicos

Rede municipal atende mais de 70 alunos com surdez em Teresina

PMT vem desenvolvendo estratégias que tornam a sala de aula um ambiente inclusivo para todos

Rede municipal atende mais de 70 alunos com surdez em Teresina

Créditos: Ascom

Se para a maioria dos estudantes do ensino fundamental as lições de matemática e língua portuguesa já são um grande desafio, para crianças e jovens com surdez o caminho é ainda mais difícil. Para reduzir esses obstáculos aos 71 alunos surdos da Rede Municipal de Ensino, a Prefeitura de Teresina vem desenvolvendo estratégias que tornam a sala de aula da escola pública um ambiente inclusivo para todos. As políticas de educação inclusiva são desafiadoras até para especialistas, mas a discussão ganhou destaque no último domingo (5) por ser tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio. A ideia era discorrer sobre os desafios para a formação educacional de surdos no Brasil, trazendo à tona a realidade dos milhares de estudantes com deficiência nas escolas pelo país. “A verdadeira escola inclusiva é a que oferece oportunidade de aprendizado igual para todos, lidando com cada diferença”, pontua Teresa Fortes, chefe da Divisão de Educação Inclusiva da Secretaria Municipal de Educação (Semec). Segundo ela, o primeiro passo é garantir matrícula para crianças e jovens com qualquer tipo de deficiência na sala de aula regular. “Todas as escolas municipais de Teresina estão preparadas para receberem esse aluno especial. Além de participarem da aula com os alunos da turma, são estimulados em atividades no contraturno escolar através do AEE”, conta Teresa. O Atendimento Educacional Especializado (AEE) é um serviço da educação especial desenvolvido na rede regular de ensino que organiza recursos pedagógicos e de acessibilidade, eliminando barreiras para a plena participação dos alunos, considerando as suas necessidades específicas, sejam elas de natureza física, intelectual ou sensorial (visual e pessoas com surdez parcial ou total). Outro grande objetivo do AEE é complementar a formação do aluno visando a autonomia e independência dentro e fora da escola, embora suas atividades se diferenciem das realizadas em salas de aula de ensino comum. Desde 2010 a Semec também oferece gratuitamente o curso de Libras para educadores, comunidade escolar e servidores públicos, a fim de ampliar a comunicação por língua de sinais em todo o ambiente da escola. Mais de 700 professores já passaram pelo curso. De acordo com Ludmila Venâncio, professora da Escola Municipal Parque Piauí, “ainda é preciso avançar muito na garantia do respeito, mas essas estratégias já trazem bons resultados na qualidade de vida das pessoas com deficiência auditiva”. Francisco Werbert é um dos alunos com surdez na Escola Municipal H.Dobal. No ano passado, ganhou dos colegas de classe a maior demonstração de carinho e respeito quando a turma inteira decidiu aprender Libras para que o menino não aprendesse a linguagem sozinho. O projeto “Somos Todos Libras”, criado pela professora Josy Silva, fez tanto sucesso que foi parar no Fantástico, da Rede Globo, destacando as iniciativas que fazem diferença na rotina acadêmica de alunos como Werbert. Para a professora, todo mundo deveria aprender Libras. “Fiz o curso para me comunicar melhor com os alunos que possuem deficiência auditiva, isso contribuiu bastante para o ritmo em todo o trabalho que desenvolvo, e acredito que todos deveriam saber o mínimo para auxiliar no dia a dia dos alunos com surdez. Ainda temos muito para alcançar, especialmente quanto ao preconceito. O aluno surdo precisa estar a vontade em todas as etapas de sua formação, compreendendo o que o professor diz em sala de aula, desenvolvendo as tarefas em grupo, recebendo o apoio da família e tendo acesso aos recursos multimídia que  auxiliam nesse desenvolvimento a partir das suas individualidades”, conclui a professora.
  Fonte: http://www.portalpmt.teresina.pi.gov.br/noticia/Rede-municipal-atende-mais-de-70-alunos-com-surdez-em-Teresina/16428

Comentários

comentários

Ronny
Topo