UFC / MMA

Em turnê pelo Brasil com o cinturão recém-conquistado no UFC, a peso-pena Cris Cyborg teve um reencontro especial no último mês de agosto

Após 12 anos, Cyborg reencontra única algoz: “Ajudou a me tornar campeã”

Ao lado de Paolla Oliveira e da campeã peso-pena do UFC na gravação de uma cena de novela, Erica Paes mostra orgulho em ser o “calo” de Cris: “Grande honra”.

Por Alexandre FernandesRio de Janeiro Em turnê pelo Brasil com o cinturão recém-conquistado no UFC, a peso-pena Cris Cyborg teve um reencontro especial no último mês de agosto. Na academia de Rodrigo Minotauro e Rogério Minotouro, na zona oeste do Rio de Janeiro, a curitibana esteve frente a frente com Erica Paes, sua primeira e única algoz, em mais de 12 anos de carreira. Não, a campeã do Ultimate não procurava uma revanche. Elas estavam contracenando com Jeiza, personagem de Paolla Oliveira que pratica MMA na novela da TV Globo, “A Força do Querer”.

Antes de se concentrarem para a cena, Cris Cyborg e Erica Paes conversaram com o Combate.com sobre o reencontro e os caminhos diferentes que suas carreiras tomaram dentro do MMA. Para a campeã peso-pena do UFC, o tropeço em sua primeira luta nas artes marciais mistas foi o “empurrão” necessário para, 12 anos depois, conquistar o cinturão da principal organização do esporte no mundo.

Cris Cyborg e Erica Paes MMA (Foto: Ana Hissa)Cris Cyborg e Erica Paes se reencontraram pela primeira vez, após 12 anos (Foto: Ana Hissa)
– Enfrentei a Erica na minha primeira luta no MMA. Foi lá onde tudo começou e, a partir dessa derrota, eu decidi que queria ser lutadora. Mas, na verdade, o resultado fez eu me dedicar mais sempre, e ajudou a me tornar a grande campeã do UFC – disse Cyborg. Erica Paes, por sua vez, não deu continuidade à carreira no MMA após finalizar Cyborg com uma chave de joelho, a 1m46s do primeiro round, no evento “Showfight 2”, em São Paulo, em maio de 2005. A lutadora fez mais quatro apresentações, alternando vitórias e derrotas. No entanto, para a paraense, ser o “calo” da compatriota é sua maior vitória dentro dos ringues.
Cris Cyborg e Erica Paes MMA (Foto: Alexandre Fernandes)
Cyborg, campeã do UFC, e Erica Paes traçaram caminhos diferentes (Foto: Alexandre Fernandes)
– É uma grande honra, sou fã da Cyborg e tenho maior orgulho de ter sido a única a ter vencido essa grande mulher. Que continue assim. Uma honra fazer parte do crescimento do esporte e, como eu disse pra ela, graças a Deus sou o “calo” da Cyborg e quero morrer sendo o “calo” dela, sendo a única mulher a ter batido a Cris. Pude mostrar a eficiência da minha arte, do jiu-jítsu, que fez a diferença naquela luta. Mas a Cyborg está aí, uma atleta brilhante, que tem muito a dar ainda para o esporte, e eu estou do outro lado agora, mostrando ao grande público um pouco da nossa arte – comentou Erica. De acordo com Cris Cyborg, ter o MMA como tema de uma novela da TV Globo é importante não apenas como divulgação do esporte, mas também para mostrar um pouco dos obstáculos diários que o lutador enfrenta fora do cage também. Ainda segundo a campeã peso-pena do UFC, participar de projetos paralelos à carreira de lutadora é algo natural. – Acho bacana ter esse tema em uma novela da Globo. O esporte é antigo, primeiro só no masculino e agora também no feminino, e é legal que a novela mostra um pouco da vida do lutador mesmo. A personagem vai treinar, tem a vida pessoal dela envolvida, tudo junto e acho que as pessoas começam a ver um pouco do lado da lutadora, que não é só dentro do octógono, no dia da luta. O MMA abre várias portas, como fazer filme, então é um caminho natural. Eu já participei em Hollywood, achei muito legal, bem diferente da minha realidade, de treino todos os dias, mas é legal mostrar esse outro lado do trabalho da Cris Cyborg – afirmou a campeã.   Fonte: http://sportv.globo.com/site/combate/noticia/2017/09/apos-12-anos-cyborg-reencontra-unica-algoz-ajudou-me-tornar-campea.html  

Comentários

comentários

Ronny
Topo