Esporte

Felipão vai para sua quinta semifinal de Libertadores e é esperança do Palmeiras

Por Henrique Toth — São Paulo

Este é um texto para quem gosta de números e superstições.

A partida desta quarta-feira contra o Boca Juniors, na Bombonera, marca a quinta semifinal de Libertadores alcançada por Felipão. O treinador que tem fama de copeiro coleciona boas campanhas na competição comandando o Grêmio e o Palmeiras. Nas quatro vezes que chegou a essa fase da competição, o técnico passou em três ocasiões.

Para melhorar ainda mais a fé do palmeirense supersticioso, nas três vezes em que Felipão avançou para a final, o primeiro jogo da semifinal foi fora de casa. Ou seja, o treinador gosta de resolver tudo como mandante, ao lado de sua torcida.

Felipão vai para sua quinta semifinal de Libertadores e é esperança do Palmeiras — Foto: Dudu Macedo/Fotoarena/Estadão ConteúdoFelipão vai para sua quinta semifinal de Libertadores e é esperança do Palmeiras — Foto: Dudu Macedo/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Felipão vai para sua quinta semifinal de Libertadores e é esperança do Palmeiras — Foto: Dudu Macedo/Fotoarena/Estadão Conteúdo

A campanha do Palmeiras na Libertadores, com Felipão, até aqui, segue à risca esse roteiro: decidir fora de casa e administrar como mandante.

Contra o Cerro Porteño, pelas oitavas de final, o Verdão bateu o adversário por 2 a 0 no jogo de ida e perdeu em casa por 1 a 0. Nas quartas de final, a mesma coisa. O Palmeiras venceu o Colo-Colo por 2 a 0 no Chile e venceu pelo mesmo placar em São Paulo.

Será que a escrita será mantida?

Retrospecto de Felipão em semifinais de Libertadores:

1995 – Grêmio campeão Semifinal Ida: Emelec 0 x 0 Grêmio Volta: Grêmio 2 x 0 Emelec

1996 – Grêmio semifinalista Semifinal Ida: Gremio 1 x 0 América de Cali Volta: América de Cali 3 x 1 Grêmio

1999 – Palmeiras campeão Semifinal Ida: River Plate 1 x 0 Palmeiras Volta: Palmeiras 3 x 0 River Plate

2000 – Palmeiras vice-campeão Semifinal Ida: Corinthians 4 x 3 Palmeiras Volta: Palmeiras 3 x 2 Corinthians

Comentários

comentários

Ronny
Topo