Esporte

Gideão fecha gol, e Altos empata na Arena Castelão com Ferroviário

Oliveira vê demora para time acordar, explica M9 no banco e quer “mais jogo”

Técnico sente equipe desligada depois de sofrer gol do Ferroviário-CE, mas fica satisfeito com 1 a 1 no Castelão. Manoel na reserva foi opção do treinador: “A gente mexe só quando você deixa a desejar”

Por GloboEsporte.com, Teresina

O técnico Oliveira Canindé reconheceu que o Ferroviário-CE criou as melhores oportunidades na partida de ida, na Arena Castelão, em Fortaleza, pelas oitavas de final da Série D do Campeonato Brasileiro. Contudo, o treinador do Altos considerou que o Alviverde teve “algo mais” no duelo, empatado em 1 a 1. Oliveira elogiou ainda o atacante Manoel, responsável pelo gol do empate aos 41 do segundo tempo, e explicou porque o camisa 9 começou no banco: era preciso M9 corresponder.

– Foi uma opção minha de mudar. No jogo contra o Nacional-AM, (Manoel) não foi aquilo que esperava. Aí mudei, acho que foi a primeira vez que ele ficou no banco. Isso serve para que você, fazendo sua parte, o treinador não mexa com você. A gente mexe só quando você deixa a desejar. Agora, com o jogo de hoje, a gente pensa duas vezes quanto à condição dele, mas você precisa corresponder, sempre no ápice, para tirar o máximo de proveito da capacidade. Quando deixa a desejar, o grupo paga o preço. E para não pagar o preço alto temos que tomar decisões que, às vezes, incomodam principalmente um atleta da qualidade dele – analisou Oliveira Canindé.

+ Marconi leva amarelo e não pega Ferrão na volta + Manoel sai do banco, marca golaço e agradece

Em seguida, comemorando o gol de Manoel na Arena Castelão.

– Parabéns para ele, para nós. Ele é um excelente atleta, excelente jogador. É um atleta que contribui muito para o grupo, tem nos ajudado e foi muito feliz, marcar (um golaço) em um palco como esse.

Manoel entrou no lugar de Joelson, que começou o jogo fazendo dupla de ataque com Klenisson. O meio campo do Alviverde ganhou Vagner, além de Marconi, Dos Santos e o meia Roger Gaúcho. O Altos sofreu gol aos 10 minutos, que começou em uma jogada de lateral. A forma como o time sofreu o 1 a 0, segundo Oliveira, foi devido a demora do grupo ter acordado e espera uma exibição melhor do grupo no Felipão.

Depois de termos tomado o gol, demoramos a ficar atentos para ver o que estava acontecendo. Tivemos algumas dificuldades, estávamos um pouco desligado, com dificuldade, tinha que ter entrado ligado desde o início, mas demoramos a acordar para a realidade, depois disso, brigamos melhor e fizemos um jogo condizente – avaliou.

Com o 1 a 1, o Altos garante vaga nas quartas de final com uma simples vitória sobre o Ferroviário, no estádio Felipão. A partida acontece no sábado. Novo empate leva a disputa para os pênaltis. Derrota representa eliminação para os cearenses.

Confira outras respostas de Oliveira Canindé

Ferroviário-CE melhor – É difícil você se planejar, mas quando chega ao mata-mata tem que ter algo a mais. Esse algo a mais nos favoreceu. O Ferroviário-CE chegou bem mais, teve mais chances, oportunidades, ficou claro, mas conseguimos o resultado, que é muito interessante para continuarmos vivos na competição.

Decisão em casa – Sem dúvida é importante jogarmos em casa, mas é importante jogar mais do que jogamos na Arena Castelão. Impor nossa condição, é diferente jogar dentro de casa, onde você tem o apoio. Tenho certeza que a situação muda por completo por jogar em casa, dentro de um lugar que conhecemos.

Comentários

comentários

Ronny
Topo