Política

MDB no Piauí, Castro, voltou a criticar a postura da oposição em relação aos empréstimos junto à Caixa

Marcelo Castro diz que parte da oposição faz “gritaria” por causa do ano eleitoral

O presidente do MDB no Piauí, deputado federal Marcelo Castro, voltou a criticar a postura da oposição em relação aos empréstimos do governo estadual junto à Caixa. O repasse da 2ª parcela de R$ 293 milhões referente ao contrato do Finisa 1 (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento) está suspenso pela justiça até a prestação de contas da 1ª etapa ser analisada. Para o parlamentar, a oposição precisa separar o que é governo e Estado.

“Não é racional que se faça oposição ao seu Estado, cidade e ao seu país. A oposição precisa separar o que é oposição ao governo Wellington Dias e o que é oposição ao Estado do Piauí”, disse em entrevista à TV Cidade Verde.

Marcelo Castro disse que, se 2018 não fosse um ano eleitoral, os empréstimos não estariam gerando tanta repercussão.

“A oposição tem todo direito de criticar, de exigir que o dinheiro seja aplicado, agora parte da oposição trabalha dia e noite para que o recurso não venha para o Estado. Se não fosse ano eleitoral, talvez a oposição não tivesse fazendo essa gritaria toda”, declarou.

O deputado ressaltou que nunca trabalhou contra o Piauí em sua carreira política, mesmo estando na oposição em algum momento e defendeu o governador. “Nós estamos vivendo uma crise financeira. Não é o Piauí só não. É Rio Grande do Sul que está com os salários atrasados. É Minas Gerais que está com o salário atrasado. É Rio de Janeiro, é Sergipe com parcelamento de salário. Aqui nós não temos salário atrasado. O Piauí está respirando com dificuldade, pois houve a recessão e fatia do bolo diminuiu. Os recursos que estão chegando são insuficientes. Fica difícil do governador manter a máquina funcionando e ainda fazer investimento. Esses 900 milhões são para investimento”, ressaltou.

Na quarta-feira, Marcelo Castro usou as redes sociais para criticar duramente a oposição do Piauí por conta da polêmica dos empréstimos.

“Quem está na oposição deve fiscalizar e ajudar a governar. Mas, o que vemos hoje é estranhíssimo e reprovável. Não sou palmatória do mundo nem quero ser exemplo para ninguém, mas trabalharem dia e noite para prejudicar o Estado, para se darem bem? Pelo amor de Deus. É uma vergonha, um constrangimento o que acontece no Piauí. Políticos trabalhando dia e noite para que o empréstimo não saia para prejudicar o Estado”, disse o presidente do MDB no Estado.

O comentário gerou reação na oposição. O deputado Robert Rios, por exemplo, disse que Marcelo teria interesses pessoais para que a liberação do empréstimo ocorra. Já o deputado tucano Marden Menezes pediu a Castro que mostrasse as obras feitas com o dinheiro do empréstimo.   Hérlon Moraes herlonmoraes@cidadeverde.com Foto: Yala Sena

Comentários

comentários

Ronny
Topo