Geral

Morre o ex-presidente da Assembleia e do Tribunal de Contas

Morre Jesualdo Cavalcanti aos 79 anos; velório acontecerá na Assembleia

Morreu nesta sexta-feira (22), Jesualdo Cavalcanti Barros, aos 79 anos após lutar contra um câncer. Jesualdo enfrentava problemas de saúde, chegou a ser internado na UTI, mas seu quadro evoluiu bem e teve alta médica. Ele estava na residência de sua filha na zona Leste de Teresina quando faleceu.

Jesualdo foi um política bastante atuante. Assumiu várias funções no Estado e publicou vários livros. Ele foi deputado federal, estadual, foi presidente da Assembleia Legislativa (1991/1993), foi presidente do Tribunal de Contas do Estado (1995/1998). Aposentou-se voluntariamente em março de 2002, para dedicar-se a pesquisas sobre a história do Piauí e ao Centro de Estudos e Debates do Gurguéia (Cedeg), entidade voltada para a discussão em torno da criação do estado do Gurguéia.

Eleito deputado federal em 1986, foi signatário da Constituição de 1988 e em 1990 conquistou seu terceiro mandato de deputado estadual. Ele foi secretário de Cultura do Estado e membro da Academia Piauiense de Letras. Recentemente, Jesualdo foi prefeito da cidade de Corrente, sua terra natal.

O deputado estadual, João Madison (MDB), confirmou ao Cidadeverde.com que Jesualdo enfrentava problemas de saúde e tinha buscado ajuda em São Paulo. Atualmente estava em Teresina e tentava curar câncer no intestino.

“É um piauiense que prestou um grande serviço ao Estado. O Piauí perde muito. Deixa um legado não só para os piauienses, mas principalmente para a nossa região”, disse João Madison.

O Cidadeverde.com obteve informação que Jesualdo Cavalcanti morreu na residência de sua filha, a juíza federal, Marina Cavalcanti, que mora na zona Leste de Teresina.

Sempre atuante

Mesmo no hospital, Jesualdo fez questão de votar na eleição para a Academia Piauiense de Letras. No dia 9 deste mês, ele votou no segundo turno para a eleição da cadeira 24 da APL, deixada com a morte do desembargador Paulo Freitas. Os candidatos que disputavam a vaga, no segundo turno – Moisés Reis e Plínio Macedo – não alcançaram o quórum mínimo. Haverá nova eleição. Foi um dos últimos registros fotográficos de Jesualdo.

Homem múltiplo

“Jesualdo Cavalcanti foi um homem múltiplo. Tudo o que fez – na vida pessoal e na vida pública – foi com muito zelo, muita inteligência e muita coragem. Viveu uma vida de desafios. Ainda na juventude, sentiu a força brutal do arbítrio, em 1964, como primeiro político do Piauí cassado e preso. Exercia o mandato de vereador de Teresina. Quando presidiu a Assembleia Legislativa, esteve entre a vida e a morte, sendo submetido a delicada cirurgia cardíaca no auge de sua luta pela moralização da Casa. Certamente, vai fazer muita falta aos que o admiravam, mas ele deixa um exemplo de competência, austeridade, desprendimento e decência no exercício de cargos públicos e de retidão moral como cidadão”, afirma o  jornalista Zózimo Tavares.

Um criador “Foi excelente presidente da Assembleia e do Tribunal de Contas. Intelectual do mais alto nível. Um criador. Muito bom Constituinte e parlamentar federal e estadual. Certa vez levaram um abaixo-assinado de apoio ao presidente José Sarney. Ele assinou e escreveu: “só se o senador Hugo Napoleão for nomeado ministro. Não deu outra!”, revela o ex-ministro Hugo Napoleão. 

Velório

O corpo do político passará à noite na Pax União, da avenida Miguel Rosa, e logo pela manhã será encaminhado para a Assembleia Legislativa. Lá, será velado e o público poderá se despedir do político e escritor.   Flash Yala Sena yalasena@cidadeverde.com

Comentários

comentários

Ronny
Topo