Política

O governador do Piauí, W. Dias, participou da (CIISPR)

Governadores inauguram centro e defendem implantação do Sistema Único de Segurança Pública

Unidade de inteligência é composta por agentes das polícias civis e militares dos nove estados do Nordeste

O governador do Estado do Piauí, Wellington Dias, participou, nesta sexta-feira (7), da solenidade de implantação do Centro de Inteligência de Segurança Pública Regional do Nordeste (CIISPR), instalado na capital do Ceará. Na ocasião, Dias e outros chefes de executivo nordestinos assinaram termo de acordo técnico para a manutenção do centro.

Para o governador do Piauí, a criação do CIISPR demonstra o início da uma integração nacional da segurança responsiva. “São nove estados brasileiros integrados com o Governo Federal, com a presença das polícias estaduais, Polícia Federal, PRF, a presença do Centro Nacional de Inteligência e até de outras redes do mundo, como o FBI. Vamos poder trabalhar de forma mais eficiente e com mais resultado. Vamos vencer o crime”, informou Wellington.

O evento aconteceu no Palácio de Iracema, em Fortaleza, com a participação do governador Camilo Santana, do presidente do Congresso Nacional, Eunício Oliveira e do ministro de Segurança Pública, Raul Jungmann. Acompanharam o governador Wellington o coronel Lindomar Castilho, o delegado Carlos César e o secretário de Segurança, coronel Rubens Pereira.

Para Camilo Santana, governador do Ceará, a inauguração do centro, que já está em operação, trará grandes respostas às quadrilhas criminosas espalhadas pelo país. “É preciso integrar com um banco de dados, com informações de inteligência, as polícias de todos os estados do nordeste brasileiro. Não tenho dúvida que este foi um passo muito importante para construir uma nova segurança pública do Brasil”, afirmou.

De acordo com ministro Raul Jungmann, a falta de integração pela segurança entre os entes federativos é um problema histórico ligado à formação do Estado Brasileiro. “Temos um federalismo compartilhado nas políticas de Saúde, Cultura e outras áreas mas não vemos isso acontecer com a segurança que fica fragilizada”, pontuou.

Segundo o ministro, no Brasil 85% do esforço na execução de políticas de segurança pública estão a cargo dos estados, problema que denominou de “federalismo acéfalo da segurança pública”. Ainda de acordo com o Ministério, atualmente foram identificadas 70 organizações criminosas.

“Quando nós assumimos o ministério tínhamos 2,8% da população do mundo e 11% de todos os homicídios. Nós temos um outro indicativo trágico como os de estupros e feminicídios e a terceira maior população carcerária do planeta, que só perde para dos EUA e da China, países que estabilizaram e já estão reduzindo essa população”, informou.

Para todos os governadores e representantes públicos presentes a efetivação do Sistema Único de Segurança Pública (SUSP) que já reúne por lei estados, municípios e União, é a saída para segurança pública do Brasil. Até pouco tempo, não existiam dados centralizados entre as instituições de segurança, o que impedia a formulação de políticas públicas integradas.

Centro de Inteligência O CIISPR Nordeste é uma unidade de inteligência composta por agentes das polícias civis e militares dos nove estados, órgãos federais e outras instituições especializadas no combate às organizações criminosas, como o Ministério Público e o Poder Judiciário. O objetivo do Centro é reunir agentes de inteligência de todos os estados do Nordeste no combate ao crime organizado e facilitar a troca de informações estratégicas e sensíveis na área da segurança pública. Governador cumpre agenda sobre Segurança Pública em Fortaleza

Autoria: Lorenna Costa e Valmir Macêdo

Comentários

comentários

Ronny
Topo