Economia

O resultado histórico no ano ocorre após o índice de preços ter registrado alta de 0,19% no mês de agosto, a menor variação para o mês desde 2010.

Inflação no ano é a menor desde início do Plano Real, diz IBGE. Veja.com         Felipe Machado mercado-inflacao-fruta-manga-consumo-brasil-20090219-original.jpeg: IPCA subiu 6,15% no acumulado de 12 meses até março © VEJA IPCA subiu 6,15% no acumulado de 12 meses até março.   A inflação acumulada nos oito primeiros meses do ano foi de 1,62%, a menor taxa para o período desde a implantação do Plano Real, em 1994. Os dados referentes ao IPCA foram divulgados pelo IBGE nesta quarta-feira. A meta perseguida pelo governo para este ano varia entre 3% e 6%, por causa da margem de tolerância – o centro é de 4,5%. O resultado histórico no ano ocorre após o índice de preços ter registrado alta de 0,19% no mês de agosto, a menor variação para o mês desde 2010. Em julho, a alta nos preços havia sido de 0,24%. A inflação acumulada em 12 meses até agosto é de 2,46%. Apenas dois dos nove grupos monitorados pelo IBGE apresentaram queda no último mês, o de alimentação (1,07%) e o de comunicação (0,56%). Segundo o IBGE, a principal queda nos preços foi da alimentação, que teve o quarto mês consecutivo de baixa em razão da safra recorde. “Os destaques foram: feijão-carioca (-14,86%), tomate (-13,85%), açúcar cristal (-5,90%), leite longa vida (-4,26%), frutas (-2,57%) e carnes (-1,75%).”, diz o instituto. No grupo comunicação, o destaque ficou com as contas de telefone celular que ficaram, em média, 1,57% mais baratas. Entre as altas, os destaques foram nos transportes (1,53%) e na habitação (0,57%). A alta no primeiro grupo foi causada pelo aumento nos combustíveis, e praticamente anulou a queda no preço dos alimentos. “O litro do etanol ficou, em média, 5,71% mais caro. Já a gasolina subiu 7,19% em razão do aumento na alíquota do PIS/COFINS em vigor desde julho e da política de reajustes de preços dos combustíveis.”, disse o IBGE. A inflação em ritmo fraco é um dos motivos que tem levado o Comitê de Política Monetária (Copom) a reduzir a taxa básica de juros, a Selic. O comitê anunciará na tarde desta quarta o novo patamar dos juros, após reunião. Os economistas estimam que haverá novo corte de 1 ponto porcentual, com a taxa indo de 9,25% para 8,25%. O aumento menor nos preços também é apontado por especialistas como fator que fez as famílias consumirem mais no 2º trimestre do ano, contribuindo para alta do PIB divulgada na última sexta-feira. Fonte: http://www.msn.com/pt-br/dinheiro/economia-e-negocios/infla%C3%A7%C3%A3o-no-ano-%C3%A9-a-menor-desde-in%C3%ADcio-do-plano-real-diz-ibge/ar-AArnPkj?li=AAggXC1&ocid=mailsignout  

Comentários

comentários

Ronny
Topo