Copa 2018

Presidente da Fifa Gianni Infantino com o Presidente da Rússia Vladimir Putin

Em congresso da Fifa, Vladimir Putin fala em “acolhimento caloroso a todos”

Rússia é alvo de críticas de organizações de direitos humanos por leis contra LGBT

Por Martín Fernandez, Moscou, Rússia / globoesporte.globo.com / (Foto: REUTERS/Sergei Karpukhin)

Em discurso para uma plateia de dirigentes de futebol de todo o mundo reunidos em Moscou, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, prometeu um “acolhimento caloroso” a todos os torcedores que vierem para a Copa do Mundo, que começa nesta quinta-feira. O jogo de abertura será entre Rússia e Arábia Saudita, no estádio Lujniki, em Moscou.

– Tenho a esperança de que todos os jogadores e torcedores sintam o acolhimento caloroso de nossa nação, nossa cultura única e nossa natureza singular. Para que todos possam voltar para a Rússia – discursou Putin nesta quarta-feira.

Putin afirmou ainda que seu país está pronto para “assegurar a todos os visitantes que tudo será muito positivo”.

– Muitas geracoes de torcedores sonharam com a Copa do Mundo na Ruíssa. Amanha esse sonho se torna realidade.

Putin, que claramente quer usar a Copa do Mundo na Rússia para mostrar ao mundo uma imagem mais “acessível” de seu país, disse ainda que “o esporte está além da política”.

A Copa do Mundo será disputada em meio a críticas de organizações de defesa dos direitos humanos. A Rússia tem uma lei de 2013 que proíbe manifestações de afeto em público entre pessoas LGBT.

O ministério das Relações Exteriores do Brasil publicou um “manual” para torcedores que viajarem a Rússia, no qual recomenda que “a comunidade LGBT evite demonstrações homoafetivas em ambientes públicos […] que podem ser enquadradas numa lei que prevê deportação”.

Comentários

comentários

Ronny
Topo