Política

Themístocles Filho, desabafou nesta terça-feira (21) ao comentar a exoneração de dois secretários do PMDB da prefeitura de Teresina.

Themístocles diz que Firmino “pisa” em aliados e que chance de aliança é zero

O presidente da Assembleia Legislativa do Piauí, Themístocles Filho, desabafou nesta terça-feira (21) ao comentar a exoneração de dois secretários do PMDB da prefeitura de Teresina. A medida teria sido em retaliação ao vereador Zé Nito, ligado a Themístocles, que votou pela permanência do vereador Jeová Alencar (PSDB) na presidência da Câmara Municipal. O pleito na Casa foi antecipado em mais de um ano. O presidente do legislativo estadual chamou o prefeito Firmino Filho de traidor e o acusou de usar o PMDB apenas para ganhar a eleição. “O que aconteceu na Câmara precisa o prefeito ser muito desinformado. Uma lei votada em agosto deste ano e o prefeito não sabe? Uma lei que muda o regimento da Câmara desde agosto? Apenas agora no mês de novembro através de um requerimento houve a votação. Mas sem a mudança no regimento o requerimento não teria validade. O que aconteceu é que o PMDB tem dois vereadores e o prefeito da capital ligou para o deputado Themístocles Filho pedindo que o vereador Zé Nito não comparecesse na sessão que ia votar a nova mesa diretora da Câmara. Eu disse que cada vereador é independente”, desabafou. Após a eleição na Câmara, o secretário de governo, Charles Silveira, comunicou ao PMDB as demissões de James Guerra, que era titular da Fundação Wall Ferraz, e Ricardo do Rego Monteiro, que representava a SDR. “Há 4 meses eu pressentia isso que o prefeito fez. O secretário de governo, Charles Silveira, liga para o deputado João Mádison e solicita para o presidente da Assembleia não botar os pés na secretaria que o PMDB indicou. A partir desse dia eu fiquei achando que ele quis o PMDB só por que precisava para vencer as eleições, mas não tinha compromisso de verdade”, afirma o deputado, ressaltando ter se arrependido em ter votado no tucano. “O Firmino venceu as eleições no primeiro turno por 4.802 votos. O Zé Nito teve mais de 6 mil votos. O James teve mais de 5 mil e outros. Se a gente não tivesse votado nele ele iria para o segundo turno e perderia para o Dr Pessoa. Foi de fundamental importância a ida do PMDB para apoiar. A gente foi sem exigir nenhuma secretaria dele. Ele queria dar uma secretaria para o Mauro Tapety e eu disse que não. O PMDB só assume secretarias depois da eleição, depois de contribuir no palanque, onde o Firmino fez várias promessas. O meu arrependimento é não ter votado no Dr Pessoa. Se eu soubesse que ele era tão traíra, não tinha apoiado”, desabafou. Foto: Wilson Filho Themístocles disse que a celeuma na Câmara foi pano de fundo para Firmino romper com o PMDB. “O prefeito pisa, trata mal vereadores, lideranças políticas. Todo mundo sabe disso. Se mandou um recado para o presidente da Assembleia pelo secretário de governo, imagina o que não faz com os outros. O comportamento dele é desse jeito”, ressalta. O presidente garante que será oposição ao prefeito através do vereador Zé Nito. “Eu falo pelo vereador Zé Nito: é 100% oposição. Ele enganou o PMDB”, disse, afirmando que Firmino pediu até que Luis Junior não fosse seu vice em 2016. “Firmino só não tira o vice porque não pode”, finalizou. Hérlon Moraes herlonmoraes@cidadeverde.com

Comentários

comentários

Ronny
Topo