Saúde

Violência obstétrica são agressões, físicas ou verbais, que podem ser sofridas pelas gestantes

Violência obstétrica é pauta de conversa no Hospital do Satélite

Gestantes foram orientadas sobre a melhor escolha do parto, os benefícios e os direitos Violência obstétrica é pauta de conversa no Hospital do Satélite

Créditos: Ascom

 
O Hospital do Satélite promoveu na manhã desta segunda-feira (19) uma roda de conversa com o tema violência obstétrica. A atividade foi realizada em parceria entre a Fundação Municipal de Saúde (FMS) e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).   O objetivo da roda de conversa foi orientar as gestantes da região sobre a melhor escolha do parto, os benefícios e os direitos. “Estamos falando a importância do parto normal, orientando sobre a importância de um parto normal humanizado e explicando o que é a violência obstétrica”, esclarece a diretora Luciana Sebim.   Além disso, elas receberam um manual de apoio elaborado pela presidente da comissão de apoio á vítima de violência da OAB, Alba Valéria Vila Nova. Ela foi a ministrante da palestra, que também contou com a presença de doulas – assistentes de parto, que acompanha a gestante durante o período da gestação até os primeiros meses após o parto, com foco no bem estar da mulher – e enfermeiros obstétricos da rede de saúde do município.   Violência obstétrica são agressões, físicas ou verbais, que podem ser sofridas pelas gestantes tanto durante o parto quanto no pré-natal. São xingamentos, recusa de atendimento, realização de intervenções e procedimentos médicos não necessários, como exames de toque a todo instante, grandes episiotomias ou cesáreas desnecessárias. A Organização Mundial da Saúde (OMS) já se posicionou a respeito do tema e publicou um documento sobre a prevenção e eliminação de abusos, desrespeito e maus-tratos durante o parto. Fonte: .portalpmt.teresina.pi.gov.br

Comentários

comentários

Ronny
Topo