SIGA O 24H

Entretenimento

Cineasta Gabriel Martins gravou o filme Marte Um na região onde cresceu em Contagem (MG)

Publicado

em

Compartilhar isso...

7 a 1 da Alemanha inspirou roteiro de filme indicado para representar o Brasil no Oscar

Diretor e roteirista detalha processo de criação do longa-metragem que é o segundo de sua carreira, sendo o primeiro solo

Enquanto os brasileiros estavam de ‘luto’ devido à goleada de 7 a 1 da Seleção alemã de futebol durante a Copa do Mundo Fifa 2014, o cineasta mineiro Gabriel Martins via surgir na mente dele o roteiro do filme Marte Um. Oito anos depois, nesta segunda-feira (5), o longa-metragem foi escolhido para representar o Brasil na disputa por uma vaga no Oscar 2023.

Em entrevista ao R7, Gabriel Martins, de 34 anos, revelou que a derrota em campo o inspirou na concepção do enredo criado para o personagem Deivid, um garoto que vive com a família na periferia da cidade de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Ele é interpretado pelo ator Cícero Lucas.

“A derrota deixou um trauma na sociedade e me deixou pensando muito sobre futebol, sonhos, política e identidade”, explica. “Veio-me a ideia desse menino, esse garoto negro, de periferia e que joga bola. Então pensei: e se ele sonhasse com alguma coisa que seria praticamente impossível? O que aconteceria?”, detalhou o cineasta.

Na trama, Deivid, ainda criança, nutre o sonho de ser astrofísico e participar de uma missão espacial que prometia colonizar o planeta Marte a partir de 2030. O plano era bem diferente da carreira de jogador que o pai planejava para seu futuro.

“O Deivid gosta de jogar bola, mas não quer fazer isso profissionalmente. Welington, o pai dele, é obcecado por futebol. De alguma forma, esse pai tenta viver por meio do filho um sonho que ele nunca conseguiu realizar. O Welington tem esse sonho como uma espécie de bilhete premiado da loteria. Ele aposta tudo no filho para que a família consiga mudar de situação [financeira]”, conta Gabriel Martins.

O cineasta define Deivid como um garoto “que está tentando achar seu lugar no mundo”. Ele está inserido no contexto de uma família que enfrenta dificuldade de entender uns aos outros. Assim, todos se tornam protagonistas da história. “É uma família que não está conseguindo se ouvir direito”, detalhou.

Gravação

A maior parte do filme se passa na cidade de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Mais especificamente entre os bairros Novo Progresso e Milanez, onde o próprio Gabriel Martins nasceu e foi criado. Outros membros da produtora Filmes de Plástico, responsável pela obra, também são da região. O espectador também pode observar cenas gravadas na capital.

A justificativa para a escolha está ligada, segundo Martins, a “uma relação afetiva” e a características do bairro que é de periferia, o que retrata a realidade dos moradores de comunidades.

Deivid foi o primeiro papel de Cícero Lucas, de 16 anos, como ator. O adolescente conhece um pouco da realidade do personagem, já que ele é do Aglomerado da Serra, área periférica da região centro-sul de Belo Horizonte. Na época das gravações, em 2018, o artista tinha 12 anos.

LEIA TAMBÉM
  •  Oscar 2023 não aceitará filmes exibidos apenas no streaming

Marte Um foi gravado durante seis semanas. Os recursos, aproximadamente R$ 1,2 milhão, vieram de um fundo público para incentivo a obras de diretores negros e com temáticas ligadas a questões raciais. Ele estreou no Festival de Sundance, em janeiro de 2022, e chegou aos cinemas brasileiros no último mês de agosto.

Este é o segundo longa-metragem da carreira de Gabriel Martins e o primeiro em voo solo. A primeira produção do cineasta, que também é roteirista e diretor, foi No Coração do Mundo, codirigido por Maurílio Martins e lançado em 2019.

“Eu não imaginava [representar o Brasil no Oscar]. A gente trabalha muito para que os nossos filmes cheguem mais longe o possível, mas a gente sabe que é muito difícil em uma perspectiva de mercado. Até pelo baixo orçamento que temos, não conseguimos ter uma mídia muito ampla para divulgar. Marte Um é um filme que cavou esse lugar com as próprias forças. Foi encantando as pessoas até chegar onde está”, comentou o cineasta que comemora a indicação.

Premiação

Marte Um foi escolhido pela Academia Brasileira de Cinema para representar o país no categoria de Melhor Filme Internacional no Oscar 2023 – a maior premiação do setor. A produção disputou a vaga com outros 27 concorrentes.

A expectativa é que a Academia de Hollywood indique no dia 21 de dezembro deste ano uma lista prévia dos postulantes à estatueta na categoria. Já em 24 de janeiro de 2023, o mundo vai conhecer quais serão os finalistas na disputa pelo título de melhor filme internacional. A entrega do prêmio acontecerá em Los Angeles, nos Estados Unidos, no dia 12 de março de 2023.

Em maio de 2022, Marte Um ganhou o prêmio do público no Festival Internacional de Filme de São Francisco, nos Estados Unidos.

  • ENTRETENIMENTO | Pablo Nascimento, do R7
4 Comentários

4 Comments

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade